segunda-feira, 17 de março de 2008

Ruptura Democrática de Esquerda

O país "não pode estar condenado a alternância sem alternativa" dos Governos do PS e do PSD e, por isso, defendeu a criação de "uma ruptura democrática de esquerda" que reúna as forças políticas descontentes com a actual política em Portugal, independentes e forças sociais.

Pois é o Jerónimo de Sousa já se anda a mexer e no sentido certo!!! É obvio que necessitamos de uma plataforma/programa comum em torno do qual a esquerda se polarize para dar uma alternativa real ao país.

Amanhã é tarde demais, já para não falar daqui a 10 ou 20 anos!!! (como inacreditavelmente ouvi da boca do principal dirigente do Bloco) A alternativa a apresentar é AGORA. AGORA é que a direita está desbaratada, AGORA é que o PS oficial está desgastado, AGORA é que as massas estão abertas a acolher uma proposta deste género. Não ter para AGORA uma alternativa real que tenha a capacidade de resolver pela esquerda as contradições da sociedade portuguesa é, no mínimo, andar a dormir na formatura. Os tempos que vivemos já não são os dos anos 90, não estamos em 99 quando se formou o BE. AGORA exige-se mais.


A curto médio prazo temos a responsabilidade de apresentar uma alternativa de governo, a médio prazo a direita vai se organizar em torno de um programa claro e radical que responda aos problemas e contradições actualmente existentes. Se ficarmos a ver vamos ter uma reedição dos dez anos Cavaquistas mas numa versão mais Hard Core. Se ficarmos a ver a alternativa para o BE vai ser a marginalidade ou ser forçado a servir de muleta ao PS para afastar o perigo da direita Dura... Antes disso a esquerda à esquerda desta governação tem de se unir e polarizar o descontentamento "difuso", neste momento o Bloco sozinho não o consegue, o PCP sozinho não o consegue, a ala Alegrista (sentido lato) não o consegue e para mais não tem uma estratégia clara. Só reunindo todas estas hostes, e mais elementos que existem no campo social, é que será possível apresentar um programa com força para vencer na sociedade.
Não precisamos de mais 2 ou 3 deputados, não precisamos de mais 5 ou 6 novos militantes. Precisamos de ganhar o governo do país!!! Precisamos de um movimento popular de massas que defenda o programa dessa plataforma!!! Menos do que isso é entregar o ouro ao bandido!
Camaradas de todos os matizes, é altura de dispensar o acessório e concentrarmo-nos no essencial e o tempo não está do nosso lado, os amanhãs que cantam soam melodias de um pesadelo neo-liberal autoritário!

Camaradas era bom se o Bloco fosse lentamente crescendo até se tornar no plano social e eleitoral o pólo de atracção de todos os que se opõe ao actual regime e que fosse a organização que liderasse o processo de ruptura e superação do status quo. Camaradas isso não vai acontecer, não há tempo para isso e a história não funciona assim. E sinceramente que melhor meio para o Bloco crescer que estando no centro de um movimento amplo de massas? Porquê o medo da diluição? Temos medo das nossas convicções? Temos medo da nossa militância não captar mas ser captada? Temos medo de não ter uma linha clara no seio desse movimento e por consequência sermos levados na corrente? Camaradas se há esses medos então resolvamos estas questões, resolvamos as questões e lancemo-nos neste projecto.
Não subestimem a importância do momento histórico a que assistimos.

3 comentários:

Fernando disse...

Tenho dúvidas sobre a bondade da afirmação (proposta?) do Jerónimo, tendo em conta actuações passadas e presentes (muito recentes até) mas o caminho é esse sem dúvida e o Bloco não pode dizer que quer construir caminhos de unidade e não "confrontar" o PCP com a natureza concreta da sua proposta. Também escrevi sobre isto.

david disse...

Eu gostaria de, antes de mais nada deixar aqui uma importante questão!

Como pode o Bloco acusar o PCP de divisionismo quando foi o proprio Bloco que criou um novo movimento politico-partidário em alternativa a reforçar um partido de esquerda com provas dadas desde à mais de 80 anos?

Após colocar a questão deixo o meu comentário!

Compreendo que o Bloco, e as pessoas que o fundaram, tivessem divergências em relação ao PCP! Por esse motivo compreendo a sua criação, contudo não posso reconhecer autoridade ao Bloco para acusar o PCP de não querer unir a esquerda!

Se é para unir a esquerda num só movimento politico-partidario, logicamente, e para uma maior eficacia de luta, tal deveria ser feito em torno daquele que ja provou ter uma organização solida, democratica e interventiva em todos os aspectos da sociedade, sejam eles mediáticos ou não!

Também eu defendo uma esquerda unida!

No entanto não vejo necessidade de um movimento politico-partidario unico!

Nada é mais democratico do que diversidade na discussão!

E nada é mais eficaz do que unidade na luta!

A verdadeira unidade deve vir na acção conjunta de diferentes pessoas que após diversidade na dicussão chegam democraticamente a conclusões e actuam em unidade, demonstrando, assim, verdadeira força reivindicativa! Não interessando para isso qual o seu partido! O que verdadeiramente importa são os seu problemas, as suas reivindicações! A sua LUTA!

Por esse mesmo motivo admiro o PCP que está presente em todos os movimentos de luta dos trabalhadores, nos comités de fabrica/empresas, nos movimentos de cidadãos, e em muitos outros polos de luta, nos quais os seus militantes têm um importantissimo papel organizativo sem no entanto necessitar de exibir a sua participação!

Muita gente acusa o PCP de manipular esses mesmos movimentos!

No entanto, para mim, quem faz essas acusações está na realidade a pôr em causa a justeza dessas mesmas reivindicações, pois o PCP nunca fez alarde de estar presente nelas e apenas está porque elas são justas!

Assim sendo para quê manipula-las?

Com que beneficio?

O unico beneficio que advém, para o PCP, da participação nesses movimentos é o reconhecimento, por parte das populações de que de facto o PCP defende os seus interesses!

E, a cima de tudo, a satisfação da luta por uma causa justa em beneficio do povo do nosso país!

Em contraponto, nunca consegui perceber o motivo pelo qual no 1º de Maio, manifestação sindical, o Bloco faz questão de se demarcar da CGTP, e manifestar-se com Bandeiras Partidárias!
Sendo bem sabido, de todos nós, que muitas das pessoas que nela participam são comunistas, que ali se encontram numa luta unitária, de esquerda, Sindicalista, e sem Bandeiras comunistas!

Essa postura do bloco SIM É DIVISIONISMO!

Existirá outra resposta para ela que não seja a procura do protagonismo?

Se existe gostava, verdadeiramente, de a conhecer?

Até lá que confiança posso ter no Bloco?

david disse...

O meu 1º comentário foi por enorme dicordância com o comentário anterior!

Agora sim um comentário ao assunto principal do artigo do blog!

No essencial concordo com aquilo que foi exposto no blog e algumas coisas também eu afirmei no meu comentario anterior!

Quanto ao investimento na organização dos movimentos populares para lutar contra as politicas de direita, nao podia estar mais de acordo!

Contudo, para mim, este PS é já a DIREITA DURA e mais Hard Core é dificil!

Os movimentos Alegristas não passam de agua e sabão para lavar a cara do PS!

Falam contra, falma contra, falam contra!

Votam Amen!

Quanto à questão de nem o Bloco nem o PCP conseguirem combater a direita sozinhos, e quanto ao ganhar o governo...

Tal não passam de falsas questões!

Ter votos para formar governo... de nada serve sem uma base social!

Um apoio do povo, que sendo reivindicativo, revolucionário, permita a um governo verdadeiramente de esquerda enfrentar o grande capital e o imperialismo criando, nao reformas economicas, mas verdadeiras revoluções economicas e sociais é crucial para a sustentabilidade de um governo como nós precisamos!

Até lá, a verdadeira necessidade nao é criar governo, mas sim lutar lado a lado com os trabalhadores! Lutar por melhores condições de vida e de trabalho, Lutar contra a exploração, Lutar contra os contratos a prazo, Lutar pelos contratos colectivos e pelo fim dos contratos individuais que colocam trabalhador contra trabalhador e destroem a consciencia de classe! Lutar por TRABALHO IGUAL SALARIO IGUAL!

Lutar pelo nosso povo, nao no governo, mas sim sendo verdadeiramente solidarios e estando a seu lado!

Criando assim, a consciencia social, e a base de apoio para um governo Revolucionario, de Esquerda, LIBERTADOR DO POVO TRABALHADOR!

Sem essa base social, nao apenas votante, mas participativa, lutadora! Formar governo apenas nos levaria ao descredito, pois sem ela nunca conseguiriamos verdadeiramente derrubar o IMPERIALISMO! Ficando sempre aquem daquilo que deveria ser o nosso objectivo!

E por muito que amenizassemos os seus maleficios, a injustiça social das mais valias sempre existiria!

Para uma verdadeira esquerda é preciso uma ESQUERDA REVOLUCIONARIA e nao apenas reformista!

E uma REVOLUÇAO nunca se faz apenas com um GOVERNO!

A REVOLUCAO E DO POVO E SO COM O POVO SE FAZ!

Pelo Pao, Pela Paz, Pelo Povo!

UNIDOS ATE A VITORIA FINAL!