segunda-feira, 7 de janeiro de 2008

2008, ano de Esperança


Sim, 2008 é um ano de esperança… Há primeira vista pode não parecer, o preço do petróleo atinge máximos históricos, a recessão económica espreita, a situação no médio-oriente agrava-se e é sintomático o rali Dakar ter sido uma das vítimas da “guerra contra o terrorismo”.

No entanto, sim é de esperança… Há uns anos atrás Nani Moreti num dos seus filmes punha a personagem principal a contorcer-se em frente à televisão enquanto via um debate entre Berlusconi e o candidato da “esquerda”, contorcia-se porque finalmente a esquerda em Itália tinha grandes hipóteses de chegar ao poder, mas de que forma chegaria? A personagem exasperava e berrava com a televisão “Diz qualquer coisa de esquerda! Vá lá! Pelo menos qualquer coisa cívica!”, mas nada, Romano Prodi era um candidato completamente esterlizado, parte do status quo, talvez com um discurso menos bárbaro que a direita pura e dura mas a diferença ficava por aí…

A social-democracia europeia colapsou e adoptou a função de gestores da crise e das contra-reformas neo-liberais… Sócrates e o seu namoro aos empresários e mundo dos negócios é um caso paradigmático…

Mas do outro lado do Atlântico, no coração do Império, este ano há eleições presidenciais, Bush está desacreditado, os Republicanos andam à nora e há dúvidas se o candidato Democrata do establishment, Hillary Clinton, conseguirá vencer as primárias e chegar à presidência. Para já parece que é um negro de nome Barak Hussein Obama que vai à frente, fala sobretudo de esperança, o que é sempre uma coisa boa.






Mas o meu canditado é John Edwards herdeiro da velha corrente populista que muito positivamente inflenciou a política nos EUA sobretudo no final do século XIX e início do XX.













Pelo menos já se ouve qualquer coisa de esquerda, no “mainstream”… Obrigado à Resistência Popular Iraquiana pois se o Iraque tivesse sido um passeio para os soldados do Império não estaríamos agora a ouvir isto.

2 comentários:

atanasio disse...

Eu obviamente que também estou pelo Edwards, mas ouvir estes discursos causam-me alergia.
A política no EUA é uma competição de demagogias e discursos panfletários fáceis.

PRS disse...

Pois é, pois é, mas a Obamania continua ... vamos ver no que dá.